O-que-preciso-para-vender-serviços-pela-internetDeixa eu adivinhar… nos últimos meses você tem lido muito sobre vendas remotas, sobretudo, e-commerce; já está ciente que os hábitos dos consumidores mudaram, que a internet é um canal de vendas com grande potencial. Seu produto também está pronto para ser vendido, a demanda é grande e tende ao crescimento. E então você decidiu: vou começar vender serviços pela internet!

Bom, isso é ótimo!

Você pretende entrar em um bom modelo de negócio com grandes chances de sucesso. Depois dessa decisão você passa para o próximo passo: colocar sua ideia em prática, dar vida ao seu negócio, mas você sabe como começar?

Neste artigo falaremos:

  • 4 coisas básicas que você precisará saber para vender serviços pela internet
  • Dica extra para se destacar no mercado online

4 coisas básicas que você precisará saber para vender serviços pela internet

1º Planeje e estude

A primeira dica é tenha calma, muita calma, planeje e estude.

É normal está super empolgado, pensando em construir seu site, cadastrar seu produtos e começar a vender hoje mesmo! Mas esta ainda não é a hora. A primeira coisa a fazer é planejar. No planejamento você precisa responder perguntas importantes sobre seu negócio porque a partir delas você tomará as próximas decisões práticas.

Você precisa saber clara e objetivamente:

  • Qual será o tamanho do meu negócio?
  • Qual a minha meta mensal? Diária? Anual?
  • Qual o prazo para atingi-la?
  • Quanto posso gastar em publicidade para atingir esta meta?
  • Qual o público-alvo que pretendo atingir com esta publicidade?
  • Qual o problema deste público-alvo meus serviços podem resolver?

Sim, são perguntas básicas, mas é necessário tê-las em papel para tomar decisões mais assertivas.

Vamos ilustrar com um exemplo prático. Vamos supor que meu negócio será pequeno:

Finanças – custo por mês
Quanto será o custo de cada item?  R$100,00
Quantos disponibilizar para vendas? 10
Quanto será o custo de Mídia?  R$1.000,00
Quanto será o custo Total?  R$2.000,00
Indicadores
Qual o número de visitas no site desejado ?  1.000
Qual o número de Vendas desejado? 20
Qual o valor de venda de cada item? R$200,00
Qual a taxa de Conversão desejada?  0,02%
Qual a margem de Margem de lucro desejada?  100%
Para fazer seu próprio Check List baixe grátis o  modelo de Check List Simplificado para Planejamento de Negócio em E-commerce.

Respondendo poucos itens já conseguimos pensar algumas implicações para o próximo passo: é necessário escolher um plano de hospedagem com base nesse número de acessos, uma plataforma de e-commerce ideal para poucos produtos e para ter retorno em 2 meses vou precisar de fazer anúncios online. Ou seja, só adianta “fazer” quando sabemos onde queremos chegar.

A importância em planejar está aí, você precisa ter base para tomar as decisões práticas. Mas, como saber qual opção será ideal para mim? Agora é hora de entender todas implicações técnicas e de custos que a grande variedade de soluções de mercado oferecem.

Você pode decidir fazer internamente em sua empresa, e para isso pode ser necessário que seu time ou você precisem buscar informações em sites técnicos, entender sobre hospedagem, plataformas, marketing digital e gerenciamento.

Ou você pode buscar entender gerencialmente as peculiaridades e necessidades de seu negócio e buscar auxílio em empresas especializadas na execução de vendas remotas ou vendas pela Internet.

2º Faça uma implementação técnica assertiva

Sim, já está tudo organizado, você tem a dimensão do seu negócio, planejamento OK. Agora sim é hora de mãos a obra:

  • Escolha um plano de hospedagem: a escolha o serviço de hospedagem deve ser de acordo com as necessidades do seu site: espaço de armazenagem, volume de tráfego, número de e-mails,  estabilidade… enfim, defina as características essenciais para seu negócio.
  • Registre seu domínio: em razão do marketing digital é fundamental que você tenha um domínio próprio. Então nada de usar domínios grátis como  wordpress.com, combinado? Pense em algo que represente sua marca, sobretudo, o foco do seu negócio.
  • Construa seu e-commerce. Seu site é sua marca, seu produto, sua loja. É necessário pesquisar qual plataforma atende melhor seu negócio. Para facilitar divida essa análise em dois grandes blocos:
    • FrontEnd: Escolha uma ferramenta que possibilite a criação de um site bonito, com boa usabilidade e atrativo, ou seja, seu cliente tem que entrar no site, gostar e comprar de forma fácil e segura.
    • BackEnd: agora pense em você e em sua equipe: seu site teve ser fácil de gerir, editar e atualizar. Pesquise quais integrações serão possíveis e a qualidade do suporte técnico. Analise as soluções técnicas e gerencias que a ferramenta oferece.

Estas decisões e as suas implementações precisam ser executadas com o máximo de qualidade possível, dentro de um custo aceitável em seu modelo de negócios. Mais uma vez, dependendo do seu “core” de negócios, pode ser ideal procurar ajuda de empresas especializadas, certo?

3º Avalie e melhore

Site online e produtos cadastrados. Agora é hora de “mudar de lado”, tente ver seu negócio na visão do cliente. Entre e seu site e navegue, a navegação está fácil? Conseguiu encontrar o que precisa com facilidade? Está tudo bem explicado? E na hora da compra… tem opções de pagamento suficientes e certificados de segurança? Testou seu site em todos os navegadores? Testou do celular? O carregamento é lento? Se você não respondeu rapidamente: sim! Isso é sinal que há itens para melhorar. Peça que pessoas que não estejam envolvidas no projeto faça o teste, veja se elas navegaram com facilidade em seu site.

E depois da compra? Avalie o tempo de resposta do seu pós-venda, o tempo de entrega do seu produto, seu negócio está cumprindo o prometido? Seja sincero para fazer melhoras significativas!

4º Anuncie

É hora de aparecer! Seu produto pode ser ótimo e seu site impecável, mas se as pessoas não tem acham na internet, você não terá demanda. Conheça, entenda e use o Marketing Digital! Com essa ferramenta você pode ter “seu espaço” nos resultados de pesquisas online de duas formas: pagando ou (quase) de graça.

A forma que você vai escolher vai depender da sua urgência em aparecer e, é claro, do seu orçamento. A mídia paga, como o AdWords, trará um tráfego rápido para seu site proporcional ao seu investimento, o problema é que será muito difícil manter esse público por muito tempo, tendo em vista que o custo não é tão baixo e tende sempre subir com o passar do tempo. Já a mídia orgânica exige mais esforço, dedicação e paciência, mas uma vez conquistado seu espaço, você a terá por um bom tempo e com tendência de custo de aquisição sempre reduzindo.

Então surge a questão: devo fazer mídia paga ou não? E aí vem a…

Dica extra para se destacar no mercado online

Vá mais fundo no marketing digital conheça as ferramentas do Google e produza conteúdo! Já ouviu falar em Analytics e AdWords?

O Analytics, em um conceito bem resumido, analisa os dados de tráfego do seu site para você entender o comportamento dos seu clientes e mensurar a dinâmica de interação do usuário no site, vendo quão relevante tem sido conteúdo que você produz para atrair seus clientes.

Já o AdWords, também em um conceito resumido, é a ferramenta para mídia paga do Google, você pode acompanhar seu anúncios, medir sua eficiência e pagar somente por cliques.

Se você tem urgência, use todos seu conhecimento de AdWords e comece com a mídia paga. Mas, caso seu orçamento esteja no fim, é o momento de produzir um bom conteúdo e fazer uma boa análise de Analytics para diminuir o investimento em AdWords e manter o fluxo do seu site apenas com a mídia espontânea. Assim, você conseguirá alavancar suas vendas!